Artigo: Rebranding: quando mudar é necessário

Quando se fala em rebranding, normalmente, as pessoas pensam em atualizar um logo ou mudar as cores de uma empresa. No entanto, o termo se refere a uma transformação mais ampla e profunda.

O problema é que há profissionais que temem a mudança e a evitam a qualquer preço. Mas o rebranding existe justamente para mostrar que essas modificações são necessárias e podem fazer muito bem. Para conferir boas informações sobre o assunto, acompanhe até o final!

O que é rebranding?

Em uma visão superficial, rebranding é o nome dado ao processo de criação de um novo logotipo, uma nova identidade visual e até de um novo nome para uma empresa ou marca.

Na prática, porém, o rebranding é muito mais complexo. Ele pode incluir a transformação de toda a filosofia da organização e uma revolução no modo como ela se relaciona com os seus clientes.

Ou seja, trata-se de uma estratégia usada para atualizar a sua marca, otimizar a imagem dela e, com isso, causar uma melhor percepção dela nos clientes atuais e futuros.

Quando fazer?

Você já sabe que as pessoas mudam, os tempos evoluem e o mundo se transforma constantemente. Então por que o seu negócio deveria ser diferente?

Uma razão para optar pelo rebranding é a necessidade de atualizar a marca para corresponder aos estilos, cores e design contemporâneos. Mas além desse, existem outros bons motivos para mudar, como:

  • expansão para novos mercados e a tentativa de atingir um novo público;
  • crescimento de uma marca que agora precisa parecer “maior”;
  • necessidade de melhorar a reputação no mercado;
  • modificação na missão original da companhia ou oferta de novos produtos e serviços;
  • mudança na filosofia ou gestão da empresa;
  • as coisas não vão bem e o negócio precisa de uma sacudida.

Como deu para perceber, o rebranding pode ser usado para atualizar uma marca que ficou ultrapassada em vários aspectos, ou quando há a necessidade de transformar a identidade dela – e como consequência, a visão que as pessoas têm dela, muito além da identidade visual.

Como fazer?

Antes de colocar a mão na massa e desenhar um novo logotipo para a sua marca, você precisará fazer uma reflexão sobre a empresa como um todo – identidade atual, suas forças, fraquezas e quais são os objetivos da mudança.

Tente identificar os valores da sua companhia e como vocês se destacam em meio aos concorrentes. O que leva o cliente a optar por vocês, entre todos os demais? A sua nova marca deve refletir esses pontos e realçar o que vocês têm de melhor.

Se os seus resultados estiverem abaixo do esperado, identifique as razões para isso. Onde estão os erros? Agora, aponte uma solução para eles e certifique-se de que, quando a nova marca entrar em cena, esses equívocos também ficarão no passado.

Por fim, com base no comportamento dos consumidores e nas tendências atuais de design, você pode construir a nova identidade e começar a transformação.

Lembre-se de que o logotipo e a identidade visual são apenas a ponta do iceberg. O novo visual provavelmente vai chamar a atenção das pessoas e instigá-las a conferir o que mudou.

Mesmo assim, uma marca bonita não é nada se não trouxer valor para os clientes. Por isso, o resultado do rebranding deve incluir também uma evolução de atitude da empresa. Assim, os clientes terão sempre muitos motivos para voltar!

E aí, será que está na hora de sua organização mudar? Escreva seu comentário e conte para a gente!

Faça o download do Case da criação do conceito e da identidade visual da BioStartUP Lab

Rebranding: quando mudar é necessário

Categoria: Estratégia
0
881 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *