Com diversas contribuições para o universo da tecnologia, Steve Jobs sempre será lembrado também por suas apresentações. Ele era capaz de rapidamente captar a atenção da plateia com um método todo particular de conduzir as ideias e apresentar os recursos de suas novidades. Dessa forma, teve uma grande influência no universo das apresentações corporativas.

As técnicas não valem somente para grandes empresas ao anunciar produtos de alta popularidade. Você pode aplicar muitas das táticas de apresentações corporativas de Steve Jobs para causar impactos mais significativos do que o convencional na sua empresa — isso significa deixar de depender apenas do PowerPoint para se destacar!

Uma boa apresentação pode gerar inúmeros benefícios para os seus objetivos. É um ótimo caminho para garantir a atenção de quem está assistindo e transmitir a sua mensagem com sucesso aos espectadores. Ninguém gosta de acompanhar uma apresentação maçante.

Conheça as 5 principais lições que você pode tirar das apresentações corporativas de Steve Jobs:

1. Elabore um roteiro completo

Toda apresentação precisa de um roteiro. Se você está se inspirando em Steve Jobs para criar um evento memorável, deve se apoiar nesse recurso para surpreender a sua plateia. Não ter um roteiro bem definido é uma receita para desastre.

Deixe bem destacados os pontos principais do que será dito e mostrado. É importante planejar o tom do seu discurso e de algumas palavras-chave que sejam estratégicas. Espontaneidade é bom; combiná-la um planejamento de qualidade pode tornar seu conteúdo mais memorável.

2. Trate sua apresentação como um espetáculo

As apresentações corporativas de Steve Jobs costumam ser lembradas pelo lado cênico. A disposição do palco, o que aparece no telão e o discurso do orador são cuidadosamente pensados para causar impacto em quem assiste.

Essa é uma ótima maneira de combater a apatia, que pode surgir no caso de apresentações que não são planejadas com o espectador em mente. Em vez de focar só nos seus slides de PowerPoint, considere também os outros elementos que compõem a sua apresentação. Transforme-a em um evento!

3. Defina um inimigo

Quando apresentou o iPhone, Steve Jobs se certificou de mostrar as alternativas ruins que existiam no mercado de celulares: aqueles com teclados difíceis de usar, ou com funções complexas demais para o usuário médio. Ficou definido um inimigo que a Apple ia combater com a solução apresentada em seguida.

Ao se planejar, baseie-se nessa estratégia de Steve Jobs. Pense nas particularidades do assunto da sua apresentação para eleger aquilo que faz sentido ser o “inimigo” da situação. Certifique-se de apontá-lo de forma clara no seu discurso.

4. Pense no seu público

Para obter sucesso com a sua apresentação, você tem que considerar a sua plateia. Dependendo do perfil dessas pessoas, o seu discurso precisa mudar para se tornar mais interessante e incentivar o engajamento. Se causar tédio, há algo de errado.

Steve Jobs conseguia cativar rapidamente seu público porque deixava clara a sua paixão por tecnologia, compartilhada por todos que acompanhavam suas apresentações. Leve em conta o que as pessoas estão esperando do seu conteúdo e adapte-se para deixá-lo mais fácil de digerir e relembrar.

5. Ensaie

Ao implementar todas essas ideias de apresentações corporativas de Steve Jobs, fica claro que é essencial treinar para se lembrar e ficar confortável com todas essas mudanças. Você somente vai transparecer a naturalidade necessária para essa tarefa se praticar bastante a sua apresentação.

Já que ela empresta tantos elementos do teatro, então vale a pena ensaiar. Utilize o máximo de recursos que você terá no grande dia: os slides, sua postura, o palco, entre outros. Imagine estar diante da plateia e conduza a sua apresentação, tomando notas de quaisquer dificuldades ou alterações que sejam necessárias.

Agora que você já sabe todos os segredos para se basear nas apresentações corporativas de Steve Jobs, está na hora de começar a se planejar. Considere o perfil do seu público, o conteúdo da sua apresentação e elabore um roteiro de qualidade para surpreender quem estiver assistindo.

Gostou deste artigo? Então compartilhe-o nas redes sociais e faça com que outras pessoas fiquem por dentro do assunto!

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Apresentações corporativas: 5 lições que podemos aprender com Steve Jobs

Alexandre Estanislau

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Categoria: Apresentações Corporativas
0
417 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *