Apresentações Corporativas - Como fazer uma gestão de redes sociais mais inteligente?

Um bom conteúdo apresentado em um formato fraco perde valor. Um design maravilhoso que carrega um conteúdo mediano não se sustenta. E, ainda que o conteúdo e a forma de apresentá-lo sejam impecáveis, tudo ainda pode ser posto a perder por falta de conhecimento sobre a audiência e insegurança do porta-voz da mensagem.

Por isso, é no equilíbrio desses elementos que se encontra o sucesso das apresentações corporativas. Muito mais do que uma série de slides, a apresentação deve ser uma experiência completa para o público a que se destina, desde o ambiente em que ocorre até a forma como é estruturada, passando pelo conteúdo apresentado e pelo design.

Esse trabalho árduo traz a melhor das recompensas: público altamente engajado e mensagem entregue sem ruídos. Se é aí que você quer chegar, as dicas a seguir vão mostrar o caminho.

Objetivo é tudo

Antes de tudo, a preparação da apresentação deve partir de um objetivo claro, uma razão de existir. Caso contrário, ela corre o risco de se tornar um compilado de dados aleatórios organizados de uma maneira qualquer.

Após responder à pergunta “o que eu quero com essa apresentação?”, fica mais fácil definir quais informações deverão ser contempladas e em que ordem, o tom a ser adotado, os dados de apoio mais adequados e até os exemplos a serem incluídos.

Valor do conteúdo

Com o objetivo definido, é hora de construir o conteúdo em si. Enquanto planeja o que será dito, tenha em mente que a mensagem que consegue informar, entreter, emocionar e inspirar ao mesmo tempo dificilmente será esquecida.

De “mais do mesmo” o mundo dos negócios está cheio, portanto esse é o momento de conceber um conteúdo original, exclusivo: pense naquilo que há de mais interessante e que só você pode dizer — e que entregue valor para o público.

Adaptação à audiência

E por falar em público, você sabe quem ele é? Um mesmo conteúdo pode (e deve) ser apresentado de inúmeras formas, dependendo do público a que se destina.

Termos técnicos (ou não), linguagem, complexidade dos slides e até o tempo de duração da apresentação precisam ser adaptados de acordo com o perfil da audiência.

No entanto, se você não tiver informações claras sobre quem estará na plateia previamente, planeje alternativas para as opções mais prováveis e faça uma rápida pesquisa antes de começar a falar, adaptando-se de acordo com a realidade encontrada. Um apresentador prevenido vale por dois!

Na ponta da língua

Ter um apresentador que seja desenvolto e que se sinta em casa quando está lidando com a apresentação é fundamental, mas não é o suficiente. Se a intenção é tornar-se autoridade no assunto abordado e conquistar o respeito do público, ele precisa ter domínio profundo sobre o tema. Mesmo o apresentador mais experiente fica perdido e inseguro quando não domina a pauta, e o público percebe isso rapidinho.

Personalidade forte

Se a audiência é feita de pessoas e o apresentador é uma pessoa, não há motivos para agir de forma robótica durante apresentações corporativas, não é mesmo?

Sempre respeitando o público e o grau de formalidade que cada circunstância pede, é interessante deixar a personalidade transparecer. Isso tornará a apresentação única, memorável e prenderá a atenção de quem estiver assistindo. Ser você mesmo sempre é mais fácil e autêntico do que forçar um personagem.

Abertura ao diálogo

Se tratar o público única e exclusivamente como espectador, é lá que ele vai ficar, sentado em sua cadeira bem longe de você. Ninguém quer isso, certo? Para conquistar e envolver  de verdade a audiência, é essencial torná-la parte da conversa.

Os benefícios de abrir a apresentação para perguntas e comentários vão além das interações constantes. Alguém da audiência pode levantar um importante ponto que você deixou passar no planejamento da sua pauta, trazendo a oportunidade para que enriqueça ainda mais o momento com o seu conhecimento.

Na frente do espelho

Praticar uma apresentação está longe de apenas decorar o que deve ser falado. Ensaios fazem com que o apresentador fique mais seguro sobre o que está sendo dito, além de trazerem insights sobre o que pode ser adicionado ou, ainda, retirado da apresentação.

Por meio desses testes também é possível certificar-se de que o conteúdo previsto cabe no tempo disponível. Se você tiver que deixar a apresentação pela metade por falta de tempo, dificilmente atingirá o objetivo proposto para ela.

1, 2, 3, testando

O público está engajado, a palestra está fluindo e… o vídeo não quer rodar! Ninguém está livre de falhas técnicas, mas uma boa organização prévia pode deixar grande parte delas do lado de fora.

Informe-se com antecedência sobre os recursos tecnológicos que estarão disponíveis no local e data da apresentação e, no grande dia, chegue mais cedo para deixar tudo configurado e funcionando sem falhas.

Visual caprichado

Se o mesmo conteúdo pode ser apresentado de uma forma harmoniosa, bonita e impactante ou de uma forma descuidada e visualmente pobre, por que optar pela segunda possibilidade? Cores que dificultam a leitura, imagens em baixa resolução e grandes blocos de texto nos slides são alguns exemplos clássicos do que acaba com a credibilidade de uma apresentação.

Lembre-se de que os slides devem conter apenas tópicos e elementos que vão auxiliar na condução da linha de pensamento do apresentador. Não é necessário, seja em eventos ou negócios, trazer o conteúdo total.

Portanto, para finalizar o planejamento da apresentação com chave de ouro, garanta que tudo o que foi pensado até aqui seja amarrado na forma de slides profissionais, organizados e visualmente atraentes.

Conforme vimos, a arte das apresentações corporativas de sucesso é cheia de detalhes, mas uma vez que dominada leva a interações valiosas entre audiência e empresa. Seja para apresentar a organização, lançar um novo produto ou divulgar mudanças e novidades, as apresentações estão aí como nossas aliadas.

Agora que você já sabe o que precisa ser considerado ao planejar uma apresentação profissional, confira também como aproveitar ao máximo o momento em que os holofotes estarão sobre você. Boa leitura e arrase na próxima apresentação!

Sócio fundador da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Apresentações corporativas cada vez melhores: conquiste o público!

Alexandre Estanislau

Sócio fundador da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC - Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais - Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Categoria: Apresentações Corporativas
0
731 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *