diamond mall

Mais uma vez vamos remexer o baú para recordar experiências interessantes de trabalho que tivemos nesses quase 17 anos. Geralmente isso logo puxa lembranças de sucessos, reconhecimento… e também de aprender.

Se você acha que lugar de aprender é só na escola, melhor reavaliar os seus conceitos. Geralmente um projeto também é uma oportunidade ótima para conhecer alguma coisa nova. Aliás, isso é bem típico de trabalhar com comunicação – vira e mexe a gente acaba sabendo um monte sobre os assuntos mais inusitados; de nomes de partes de barco até técnicas de revestimentos anticorrosivos, de museu até cerveja, tudo pode acontecer – ou aparecer.

Isso rende “causos” (e cases) ótimos e curiosidades também. Teve aquela vez em que aprendemos como se programa um braço mecânico junto com os engenheiros da Comau; ou aquela outra quando em um dezembro agitado a gente basicamente inventou a roda pra fazer o Concept Book da Euroville/BMW. E teve um cliente que trouxe muito para Bolt tanto em aprendizado como em reconhecimento – o DiamondMall.

A nossa parceria com o Diamond Mall durou muitos anos, e com o passar do tempo ela era TÃO parceria que como a gente gosta de lembrar, muitas vezes o trabalho era aprovado pelo cliente quando já estava “no ar”. A Bolt na época trabalhava exclusivamente com digital – estamos falando aqui de 2000 e baixo – e dá até uma certa nostalgia lembrar dos recursos disponíveis.

Muito mais do que um projeto

A internet florescia e a sensação era de descoberta constante. E tanto tecnicamente quanto em termos de conteúdo, a vivência de trabalho com o Diamond foi muito importante. As campanhas sazonais do shopping foram sempre projetos muito legais de fazer e colocaram a Bolt no cenário internacional de prêmios, e isso não foi por acaso; foi uma combinação de fatores muito interessante e que a gente continua perseguindo sempre:

  • aquela confiança entre cliente e agência, que dá espaço pra desenvolver mais e melhores ideias
  • a cumplicidade que torna o andamento de tudo bem mais fácil (tem tudo a ver com comprometimento, satisfação de trabalhar junto e essas coisas que só melhoram o resultado)
  • a visão do cliente: cabeça aberta, vontade de inovar, prontidão pra experimentar
  • a capacidade de tirar o melhor partido da técnica, explorando até o fundo os recursos técnicos e as ferramentas
  • e essa coisa do aprendizado de que esse artigo falava ali no começo.

O destaque aqui vai pra essa disposição de aprender algo novo. Isso é a cara da nossa área, é provavelmente uma das partes mais divertidas dela e é o que faz a diferença entre “mais um” projeto ou “aquele” projeto. O outro nome disso é envolvimento.

Muitas vezes a correria do dia-a-dia tenta a gente a fazer as coisas apenas por fazer. Isso é péssimo, pra dizer o mínimo. É meio caminho andado para um projeto “mediano” – e mediano é ruim. Essa experiência com o Diamond só foi o que foi porque, entre outras coisas, o Alexandre, CCO da Bolt, por exemplo, aprendeu muito – mas muito mesmo – sobre moda. Devorou uma montanha de referências a ponto de incorporar bibliografia nos sites de campanha, e o resultados desse mergulho foi que as entregas para esse cliente acabaram por si só se tornando referências também.

A parte engraçada aqui é que o Alexandre não é o típico cara entendedor de moda. Mas se tornou um. Do mesmo jeito que muita gente por aqui já se tornou quase especialista em elevador, crafting, carro, café, produtos de beleza, software de gestão, literatura jurídica, saúde, mil coisas sobre varejo, zilhões de temas de tecnologia, educação, e por aí vai. A lista é longa e só vai crescer – porque é dessa curiosidade pelo próximo universo pra desvendar que “esse pessoal da comunicação” se alimenta.

E você? tem fome de que?

Link para a página de case da Bolt Brasil

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Flashback: sobre moda, trabalhar e aprender alguma coisa

Alexandre Estanislau

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Categoria: Mercado
0
2248 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *