métrica

Métrica é ferramenta

Na busca por mais likes, mais mentions, mais engajamento, algumas equipes de marketing parecem se esquecer de que tudo isso faz parte de uma estratégia com um fim determinado – e de que esse fim não se limita (ou não deveria se limitar) aos números nas métricas. Então a regra é parar e pensar: qual é o verdadeiro objetivo da marca ao promover uma ação?

Muitos profissionais têm invertido os seus objetivos para se adequarem às métricas. As metas acabam sendo estipuladas com base naquilo que for mais fácil de mensurar ao invés de algo realmente relevante para a projeção da marca e dos negócios.

É fundamental construir a visão das métricas não como resultado, mas como ponto de partida. Através das métricas conhecemos os clientes, o público, o tanto que essa gente está envolvida e o quanto se interessa pela marca. A métrica não deve ser usada como um fim, mas sim uma ferramenta que opera em conjunto com muitas outras. Quais são os impactos das ações digitais para os objetivos traçados? Que tipo de laço a sua empresa tem criado com os consumidores?

Comece fazendo um raio-x

Uma boa forma de começar é colocar a jornada do consumidor em foco. Qual é a trilha desse sujeito no relacionamento com o seu segmento, com a sua marca? Investir em um bom designer de UX  para analisar todos os passos dados pelo público – de antes do primeiro contato com a marca até a conversão e mesmo depois dela, pode ajudar a identificar empecilhos que afastariam os seus possíveis clientes. Saber exatamente como se dá a interação do público com a sua empresa em todos os momentos é fundamental para planejar ações e alcançar resultados.

O tal do engajamento x likes

Likes são importantes como forma de mensurar o interesse das pessoas em sua comunicação pelo Facebook/Twitter/Youtube? Certamente. Mas fique bastante atento ao número de compartilhamentos e o que está sendo dito nos comentários. Engajamento é um passo importantíssimo no laço entre sua marca e o público-alvo – um compartilhamento, por exemplo, equivale a uma recomendação, a um comprometimento e identificação com a marca, enquanto um like não dá conta de representar tudo isso. Sem contar que a indicação de conhecidos é um dos fatores mais importantes na hora de contratar um serviço ou adquirir um produto.

Também, é essencial saber ouvir para garantir resultados. Não meça só quantas pessoas falam sobre sua marca, mas fique atento ao que está sendo dito e transforme esse feedback em ações.

Desapegando da planilha fria

O principal é sacudir um pouco a percepção que se tem dos canais de comunicação digital (e offline também) e o resultado vindo deles para melhorar o seu processo. Existe muito mais acontecendo por detrás dos números do que imagina nossa vã filosofia – inclusive isso deve ser assunto de um outro post aqui no Thunderblog. Por agora vale o recado: números são legais, mas não são tudo, e por mais tentador que seja, não devem funcionar como base única na tomada de decisões. A compreensão do comportamento humano está aí para ser explorada!

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Métrica: nem o início, nem o fim.

Alexandre Estanislau

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Categoria: Estratégia
0
2230 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *