Jurassic Park foi a maior estreia mundial da história, rendendo mais de US$ 500 milhões de dólares no primeiro fim de semana, batendo até o recordista Harry Potter e as Relíquias da Morte. E isso vindo depois de muitos outros remakes estilo “nostalgia” como Robocop e Carrie, que fracassaram em bilheteria e não engajaram tanto o público. Qual o segredo?

Será que é o valor do ingresso que está inflacionado, dando vantagem pros dinossauros? Bom, é um fator, mas Robocop e Carrie surgiram no mesmo contexto. E a Vox comparou com os outros filmes da franquia Jurassic Park, corrigindo os valores dos antigos filmes com o preço do ingresso atual, e Jurassic World ainda continua disparado.

GRAFICO-JURASSIC-WORLD

Um fator para o sucesso pode ter sido o pensamento estratégico para explorar e aproveitar mercados em expansão, como a China e outros países de economia crescente. Veja só: Jurassic World acumulou quase US$ 100 milhões em vendas de ingressos em seus primeiros cinco dias na China.

Mas não, não foi só isso.

O que parece mesmo ser aquele “fator X”, além da coisa afetiva da nostalgia, é o quanto que os fãs de Jurassic Park queriam uma continuação que fizesse jus ao primeiro filme. A partir disso, um marketing de alcance global foi planejado e muito bem executado, com vídeos de tirar o fôlego que envolveram o público e deram aquela vontade de compartilhar, aumentando ainda mais o alcance. Dava para ver que a franquia estava em boas mãos e que havia uma produção cuidadosa e muito bem feita, com uma vasta equipe, consultoria de arqueólogos e participação direta de Steven Spielberg. Ficou claro para o público que o filme seria extremamente bem feito – um must see.

A expectativa então criada foi direto ao ponto, na memoria emocional de todos que tiveram sua infância marcada por Jurassic Park e pela a experiência coletiva que é ir ao cinema. Mesmo com as múltiplas alternativas de se conseguir o filme através de download ilegal, as pessoas estavam mesmo é com vontade de ir ao cinema, de ir com os filhos, com os amigos, de assistir aquele filme que, de alguma forma, era “o filme” que eles queriam ver, do jeito que queriam ver. Ao se pensar na “experiência Jurassic World”, poucos queriam ver em casa através de uma tela de computador ou tablet. Bom mesmo é ver na sala do cinema, com todo mundo, e em 3D.

E o filme não decepcionou. Todos os ingredientes do clássico estavam lá: aventura, ação, efeitos especiais excelentes, personagens apaixonantes e uma história envolvente que deixava quem saía do cinema com aquela sensação de “vi um filmaço”. Prometeram uma volta no tempo aterrissando direto na sensação de ver Jurassic Park pela primeira vez – e cumpriram.

Um projeto que respeitou profundamente a vontade dos fãs de uma sequência [finalmente!] bem feita; a comunicação planejada em nível mundial soube mostrar com clareza o que estava sendo oferecido; a produção bem feita garantiu que a promessa fosse cumprida. Um planejamento cuidadoso, um marketing que ouviu os fãs e uma comunicação próxima que conversou diretamente com a expectativa da audiência: foi assim que Jurassic World se tornou o maior sucesso de estreia de todos os tempos.

 

 

Quando a Bolt começou em 1999, o digital no Brasil engatinhava. E a Bolt viu o digital passar de coadjuvante a determinante no comportamento das pessoas e na maneira como elas se relacionam, entre si e com as marcas. Viver tudo isso muito de perto é ter conhecimento para explorar todas as possibilidades – e isso abriu a nossa visão de mercado e o nosso leque de serviços.

O Fenômeno Jurassic World

Bolt Brasil

Quando a Bolt começou em 1999, o digital no Brasil engatinhava. E a Bolt viu o digital passar de coadjuvante a determinante no comportamento das pessoas e na maneira como elas se relacionam, entre si e com as marcas. Viver tudo isso muito de perto é ter conhecimento para explorar todas as possibilidades – e isso abriu a nossa visão de mercado e o nosso leque de serviços.

Categoria: Mercado
0
3102 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *