O valor do storytelling na sua apresentação corporativa

Você já parou para pensar no que faz uma apresentação inesquecível? Se você pegar bons exemplos em empresas, vai observar que em vários deles o storytelling está presente. É fato: contar uma boa história torna mais fácil conquistar o engajamento da plateia.

Então, se você quer passar uma mensagem ou vender o seu negócio cativando o seu público, precisa entender melhor o que é storytelling na apresentação corporativa e como ela ajuda a se tornar marcante. Vamos lá?

O que é cativar com uma história e passar uma mensagem

Antes de haver material impresso no mundo, muito antes de haver a escrita, a humanidade já transferia informação entre gerações e passava mensagens com vários propósitos utilizando uma forma muito simples: a capacidade de contar histórias.

A eficácia de uma história bem contada já foi provada há milênios, quase tanto tempo quanto o ser humano moderno existe. Ela prendia a atenção de crianças dentro das cavernas e ainda prende em um videogame de realidade virtual.

O que é o storytelling na apresentação corporativa

O chamado storytelling aplicado a apresentações corporativas tenta tirar vantagem exatamente dessa nossa característica: nós ficamos mais abertos e prestamos mais atenção a um conteúdo quando nos envolvemos com a história sendo contada.

E, se essas histórias já foram usadas para ensinar lições de moral, passar conhecimento e manter costumes culturais vivos, ela também pode ser usada para marcar a sua empresa na mente da plateia.

Quanto custa uma apresentação profissional? Faça um orçamento!

O que o storytelling traz para a sua apresentação

Contar uma boa história que sirva de fio condutor para o conteúdo da sua apresentação traz uma série de benefícios para torná-la marcante e impactante — seja introduzindo um novo produto ao público, seja mostrando novas estratégias aos diretores ou até argumentando com possíveis investidores.

Veja exatamente como essa técnica torna a sua apresentação inesquecível:

Diferencia a sua marca

Se você já transita há algum tempo pelo meio corporativo, deve ter visto muitas apresentações iguais: o apresentador faz uma introdução genérica, mostra um monte de dados e espera que isso seja suficiente para convencer. Mas convencer como, se você já se distraiu no segundo slide?

Contar histórias com personalidade capta imediatamente a atenção da plateia e força que ela reconheça e diferencie a sua marca. Ter uma postura diferente imediatamente o separa do grande bolo de empresas que compete na média pelo mercado.

Cativa a sua plateia

E a história não precisa ser só uma introdução, ela pode servir de eixo temático – um fio condutor para todos os dados e relatórios, como se a apresentação fosse um elemento do storytelling e não o contrário.

A grande vantagem de usar uma narrativa para o aprendizado também vale para uma apresentação corporativa: uma boa história gruda na cabeça e faz as pessoas se endireitarem na cadeira para entender melhor o que está sendo apresentado.

Passa uma mensagem

Público cativado, essa é a hora de passar a sua mensagem. Já parou para pensar como as histórias mais clássicas (contos de fadas, por exemplo) foram feitas para passar lições de moral?

Uma história que demonstre como o produto da sua empresa facilitou a vida de uma pessoa tem o poder de criar uma mensagem muito mais forte do que um gráfico de vendas. A conexão emocional torna o conteúdo mais inteligível independentemente da formação de quem assiste.

Permanece na mente do público

Se o storytelling tem uma origem nos contos de fadas, eu pergunto: há quanto tempo nós contamos as mesmas histórias de lobo mau? Uma narrativa forte fica na memória por muito tempo — se ela está sendo usada para apresentar a sua marca e o seu produto, ela pode continuar sendo comentada durante muitos anos.

O storytelling na apresentação corporativa tem exatamente esta função: criar uma identidade única para seu conteúdo e uma conexão duradoura entre a sua empresa e a plateia.

Que tal, então, começar agora a melhorar as suas técnicas para apresentar? Narrativa criada e ensaiada, é hora de se preparar para não fazer feio em cima do palco!


Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

O valor do storytelling na sua apresentação corporativa

Alexandre Estanislau

Sócio fundador e CEO da Bolt Brasil, atuando como Diretor de Criação, graduado em Design Gráfico pela Universidade Estadual de Minas Gerais, pós-graduado em Gestão Estratégica em Marketing pela PUC-MG. Premiado em inúmeros festivais brasileiros (Bienal de Design Gráfico – ADG, Clube de Criação de São Paulo, Clube de Criação de Minas Gerais, Prêmio About de Comunicação Integrada, Prêmio MMOnline – MSN) e internacionais (Festival Internacional de Cannes, Festival Internacional de Londres, One Show Interactive – Nova York). Criou e coordenou o Quinta Digital por 3 anos, que já passou pelas cidades de Uberlândia, Juiz de Fora, Divinópolis e João Pessoa-PB. Foi professor de Direção de Arte no curso de Comunicação Digital e Hipermídia da UNI-BH por 2 anos e palestrante em diversos eventos. Atualmente é professor da disciplina Mobilidade e Produção de Sentido no MBA em Comunicação e Marketing do IEC – Puc Minas, professor da disciplina Dinâmica das Agências Digitais na Pós-graduação UNA, Presidente da ABRADi-MG (Associação Brasileira de Agentes Digitais – Minas Gerais) e Diretor da ABRADI Nacional (Associação Brasileira de Agentes Digitais).

Categoria: Apresentações Corporativas
4
2980 visualizações

4 comentários

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *