A alma do negócio é a propaganda, e o principal inimigo a se vencer é a concorrência. Será? A relação, mesmo quando tensa, pode ser bem humorada. Uma provocação sempre causa reação no público, e às vezes até a gentileza pode dar certo.

Um caso clássico de concorrência forte é entre as líderes entre as emissoras de TV aberta, Globo e SBT. Inabaláveis no primeiro e no segundo lugares de audiência há anos, as gigantes recentemente têm amenizado a relação. Longe da troca de farpas, o SBT com muita finesse publicou um anúncio (criado pela Publicis) dando parabéns à Globo pelos seus 50 anos na revista Meio e Mensagem, causando uma repercussão muito postiva para a marca.

15113254

 

E mais: artistas da emissora paulista fizeram coro e prestaram homenagem à concorrente (ou colega). Além dos diversos elogios nas redes sociais, em uma enquete realizada pelo portal Ig  65% dos participantes aprovou a ação feita pela empresa do “seu Silvio”. A Globo não ficou quieta e retribuiu agradecendo pela homenagem em seu Twitter.

E essa não foi a única interação envolvendo gentilezas entre as duas: no dia da morte de Roberto Bolaños, o inesquecível Chaves, a Globo compartilhou o post de homenagem do SBT, deixando muitos surpresos e emocionados com a atitude.

chaves

 

Importante pontuar que nem sempre foi assim entre as emissoras. Os anos 90 foram quentes, veja essa:

Anúncio Éramos Seis provoca as novelas da Rede Globo - 08 de maio de 1994

E no geral nem tudo é tão gracinha assim: o que normalmente se vê nas interações na publicidade citando os concorrentes é o tom de provocação (descarada ou não), por vezes divertido e geralmente bem efetivo. E mesmo se a coisa acaba dando errado ou soando mal, sempre gera muita repercussão. Um clássico do gênero é a campanha do McDonalds que com muito bom humor dá uma alfinetada no Burger King (coisa que por aqui no Brasil provavelmente não poderia acontecer, já que a regulamentação atual, apesar de não proibir expressamente citar concorrentes no seu anúncio, coloca uma série de restrições pra isso – especialmente a “comparar” produtos usando critérios subjetivos ou emocionais):

 

Uma dessas ações que teve uma resposta “à altura” foi o anúncio da Pepsi no Haloween de 2013, que rodou o mundo com uma provocação direta à Coca-Cola. Mas o tiro acabou saindo pela culatra e os fãs da rival acabaram postando uma resposta no site 9gag, subvertendo a imagem de forma criativa e divertida. Até hoje especula-se se há algo de oficial na ação.

original_coke

 

E para finalizar, um caso nacional muito bacana e cheio de elegância: a Boêmia criticou a propaganda apelativa da concorrência em geral com muito humor, no comercial feito pela AlmapBBDO. Acertou em cheio com o público mais conservador e ganhou pontos também com público feminino e militante. Repercussão positiva, sem cutucar ninguém assim, diretamente…

 

Quando a Bolt começou em 1999, o digital no Brasil engatinhava. E a Bolt viu o digital passar de coadjuvante a determinante no comportamento das pessoas e na maneira como elas se relacionam, entre si e com as marcas. Viver tudo isso muito de perto é ter conhecimento para explorar todas as possibilidades – e isso abriu a nossa visão de mercado e o nosso leque de serviços.

Unidos venceremos!

Bolt Brasil

Quando a Bolt começou em 1999, o digital no Brasil engatinhava. E a Bolt viu o digital passar de coadjuvante a determinante no comportamento das pessoas e na maneira como elas se relacionam, entre si e com as marcas. Viver tudo isso muito de perto é ter conhecimento para explorar todas as possibilidades – e isso abriu a nossa visão de mercado e o nosso leque de serviços.

Categoria: Estratégia
0
3198 visualizações

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *